segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Dubai ajudando o Egito a se reerguer





Uma reunião valendo AED* 11 bilhões

Foi publicado hoje em Dubai, às 8 da manhã que o Shaikh Khalifa bin Zayed Al Nahyan, presidente de Dubai, irá ajudar o Egito após a revolução anti-Mubarak.

"O Comitê Emirados Árabes Unidos e Egito se reuniu em Cairo Para resolver através da discussão o compromisso assumido pelo presidente dos Emirados Árabes Unidos para ajudar o Egito com Dhs11.01 bilhões.

O movimento segue as diretrizes do Presidente Sua Alteza Shaikh Khalifa bin Zayed Al Nahyan para reforçar os laços fraternais e econômicas com o Egito.

O embaixador dos Emirados Árabes Unidos no Cairo, Mohamed al-Zahiry, disse que seu país está emprestando ao Egito a quantia de AED$ 1,5 bilhão para financiar projetos de pequenas e médias empresas.

"Procuramos ajudar os jovens do Egito", disse ele, acrescentando que o Fundo de Khalifa bin Zayed, que vai conceder o empréstimo, alocou outra quantia de AED$ 1,5 bilhão para apoiar a economia egípcia.

Saeed Al Muqbali, Subsecretário do Ministério dos Negócios Locais do Ministério de Assuntos Presidenciais disse: "O restante será alocado para projetos de habitação e infra-estrutura, os Emirados Arabes Unidos se ofereceu também para definir o Shaikh Khalifa Fundo para o Desenvolvimento Empresarial no Egito a um custo Dhs 1.5 bilhões e alocação de Dhs 750 milhões em empréstimos fáceis para diferentes projetos no Egito."

Essa foi realmente  uma ótima notícia esta semana. Esperamos agora que o Egito se erga em uma nova potência, com todo o poder e glória que lhe foi roubado de volta. Inshallah!
Mubarak e seu "business  man" estão tendo o que merecem.


(*dirham moeda dos Emirados Arabes Unidos)
Criss Freitas bem feliz!

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Depois do profeta - a divisão dos sunitas e xiitas




Escreveu o livro "Depois do profeta - A história épica da divisão dos sunitas e xiitas no islam", sem versão para o português ainda.

Para poder escrever este livro a grande jornalista renomada e com várias antologias feitas, comprou vários exemplares do sagrado alcorão em ingles e também em árabe para poder fazer suas comparações. Acima disso leu algumas biografias do profeta Muhammad existentes, também.

Ela se auto denomina judia-agnóstica e uma turista em matéria de alcorão, mas o trabalho que ela pensou que levaria três semanas para ser realizado durou muito mais. Lesley começou a descobrir muito mais sobre o livro sagrado dos muçulmanos. Viu que não pode ser um livro para se ler de qualquer jeito e o profeta Muhammad foi o porta-voz de Deus. Ela se empenhou de verdade!
Concluiu ainda que o paraízo não será um lugar de virgindade e sim fecundidade, segundo o alcorão.

Veja o vídeo da palestra que Lesley fez falando sobre o alcorão sagrado. Ótimo!





A história

Mesmo como Muhammad estava morrendo, a batalha sobre quem iria sucedê-lo tinha começado. Se ele tivesse tido um filho, toda a história do Islã poderia ter sido diferente. A discórdia, a guerra civil, a divisão em xiitas e sunitas - tudo poderia ter sido evitado. Mas o Profeta do Islã morreu sem filhos, e sem deixar um testamento claro.

O que aconteceu depois é a história épica de fundação da divisão entre xiitas e sunitas, uma história que salta para a vida na narrativa, vívido emocionante de Depois do Profeta. Com um elenco de personagens que seriam a inveja de Gabriel Garcia Marquez, este conto magnificamente maquiavélica do poder, intriga, assassinato, e fé apaixonada começa na Arábia, mas atinge o seu clímax terrível apenas 50 anos mais tarde, em, de todos os lugares, no Iraque....Como mostra Lesley Hazleton, a divisão entre xiitas e sunitas é uma história ainda está sendo jogado para fora das cidades e montanhas do Iraque e Irã, Paquistão e Afeganistão. Depois que o Profeta leva os leitores ocidentais dentro da luta constante pelo domínio do mundo muçulmano, equilibrando o passado e o presente, para que o leitor nunca perca de vista onde os eventos originais do século VII nos levaram, e porque importam tanto hoje.

Colocado diretamente no cruzamento volátil de religião e política, a história narrativa e eventos atuais, Depois o Profeta é uma revelação emocional e político.


Sobre a autora

Britânica-nascida Lesley Hazleton é uma psicóloga e veterana jornalista cujo trabalho tem incidido sobre a religião e a política, o passado e o presente, estão inextricavelmente interligados no Oriente Médio.  
A autora de vários livros sobre política do Oriente Médio, religião e história, ela também escreveu para o The New York Times, The New York Review of Books, Esquire, Vanity Fair, The Nation, The New Republic, e muitas outras publicações. Ela agora vive em Seattle, WA.
Seus livros mais recentes antes Depois do Profeta foram os premiados Maria: A Biografia de carne e osso da Virgem Mãe e Jezabel.




Video do discurso da autora para a Assossiação dos Jovens Muçulmanos do Centro Islamico da América, em fevereiro deste ano (2011)



É isso ai, acho que é uma grande oportunidade para se entender um pouco mais sobre islam e o lado dos sunitas e xiitas, bem como, a política que envolve tudo isso. Talvez assim muita gente compreenda melhor onde está o terrorismo. Antes de mais nada temos que nos informar!

as salma alleikum!

Criss Freitas


quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Hospitais em Dubai





Dubai por ser uma cidade que está em grande expansão, tem uma quantidade boa de hospitais. São hospitais locais e hospitais internacionais que se instalam aqui. Há muitas clínicas de todos os tipos e bolsos também, claro. 

Aqui tem o bairro onde ficam a maioria das clínicas e hospitais, o Dubai Health Care City (DHCC). São clínícas odontologicas, de estetica, natural, massagem,  hospitais, enfim, tudo para sua saúde.

Os hospitais provêm seus próprios planos de saúde que garantem um melhor conforto na hora do atendimento.

Geralmente todas as empresas oferecem planos de saúde para os empregados, porém, muitas vezes não compensa usa-los pelo auto custo.

O que fica melhor é  ir ao hospital de Dubai se for emergencia e não pagar nada por isso. Se for caso de consulta se prepare para desembolsar alguns dihrans a mais em torno de 120 a 250 dihrans.

Mas há esperança! Outro dia eu precisei de serviços médicos e então fui ao hospital iraniano em al Satwa. Paguei a consulta no valor de dihrans 100.00 e o que mais gostei foi que os remédios receitados eles dão DE GRAÇA!! Isso mesmo, de graça. Inclusive remédios caros. O único aqui, acredito.
Sem dizer que o último médico que me atendeu foi muito atencioso.


O estilo do hospital é muito bonito também, a decoração é toda no design iraniano com lindos mosaicos pelo chão e paredes. Enquanto esperava meu médico sentadinha, tirei algumas fotinhos...essa é uma das artes que vimos  no piso da porta do consultório. Lindo.

O Iranian Red Crescent Hospital do Irã é a parceria em Iranian Hospital Dubai.

Espero que ninguém precise de hospital,  mas se for o caso indico esse. O site está no link acima, é só acessar.

salam,

Criss Freitas













segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Islam - Esperança para os jovens do Brasil





Islam - Esperança para os jovens brasileiros 



Com as lembranças dos atentados ocorridos no dia 11 de setembro de 2001, dia que marcou a história do mundo e principalmente dos Estados Unidos da América, o islamismo fica em evidencia sempre que este assunto aparece.
Primeiro porque o principal acusado de arquitetar os atentados contra as torres gêmeas e o Pentágono é Ozama Bin Laden, homem que se dizia muçulmano; e segundo por ele ser muçulmano todos acham que o terrorismo vem do islam.

Mas se dizer muçulmano ou se dizer cristão, não significa que o indivíduo siga rigorosamente as regras de sua religião e ao cometer qualquer ato de violência ou erro não implica que todos da mesma religião irão fazer o mesmo.

Hitler e a benção do Papa católico
Um exemplo clássico que gosto de citar é o de Hitler, um dos maiores, ou se não dizer o maior, assassino em massa que o mundo já viu. Apesar de muitos católicos negarem isso, talvez por vergonha, Hitler era católico nazista, sim! Se não fosse não teria feito o que fez, pois seu maior alvo foram os judeus, povo que nega até hoje a Cristo. Mas, e por que o mundo quando fala do Holocausto, não diz que os cristãos são nazistas assassinos de inocentes, como acontece no caso do dia 11 de setembro e Ozama bin Laden??
É muito claro que existe algo ou "instituição" que não deixa essa notícia se propagar e mascara a realidade!

Portanto, concluimos que, se os atentados do dia 11 de setembro de 2001 foram arquitetados e executados por Ozama bin Laden (teoria que há controvérsias tambem e isso é assunto para outro post), não quer dizer que o islamismo seja a religião do terrorismo só porque o indíviduo que praticou tal absurdo se dizia ser muçulmano. ponto até aqui!

Mas a intenção desse post não é falar de assassinos e sim mostrar que existe esperança para os jovens brasileiros. Mas qual a relação do atentado do dia 11 de setembro tem a haver com isso?
- Muita!

Com a evidência do atentado do dia 11 de setembro todos os tipos de mídia começam a mostrar como realmente é o islam. Foi o que fez a Globo News nesse dia 11 de setembro de 2011, dez anos após o triste e inesquecivel dia.

Com a reportagem que se intitula o "Islamismo está em alta entre os jovens brasileiros", esse canal de TV mostra que os jovens do Brasil estão cansados de tantas permissões... Aí você pode se perguntar: "mas porque alguém se cansa de liberdade?..."

E eu posso responder sem sombra de dúvida com um ditado popular: "Tudo que é demais é veneno". E todos estão tomando demais desse veneno, atualmente. O veneno da liberdade desenfreada.

Liberdade de fazer tudo o que quer, sem limitações, sem alguém para dizer o que é certo e o que é errado. Sem alguém para cobrar uma vida com moral, com bons hábitos e sem promiscuidades.
Sexo sem responsabilidades, drogas com facilidade e vida sem regras, essa é a atual realidade que os jovens do Brasil estão vivendo. Vida sem limites.
É disso que o jovem brasileiro está sentindo falta. Uma vida moralmente limpa.

Por isso muitos dos jovens estão se conscientizando e buscando outra realidade. Uma realidade com regras, uma vida moral digna, limites nas ações  e sem promiscuidades e acima de tudo um Deus para glorificar Seu nome.

Por isso o islam cresce no mundo todo, por ser a religião que regra, que limita nossos instintos, que nos torna mais humanos e dedicados ao nosso Deus Único e nos faz revenciá-lo cinco vezes por dia no mínimo, pois ainda é pouco, deveríamos fazer isso a cada minuto que respiramos.

Eu gostaria muito que minha família que mora em Santa Catarina tivesse como conhecer o islam, ou uma simples mesquita perto de casa para eles poderem ver o quão bom é se prostar para o nosso Deus Allah. Mas, infelizmente, ainda isso não é possível. Espero que num futuro breve eles já tenham como fazer isso.

Veja agora o vídeo da Globo News, levado ao ar  no último dia onze de setembro.


link original aqui


Ainda há esperança,  mesmo que saibamos que o mundo se dirige para um final agonizante até chegar o dia de Deus.

Fiquem em paz!

Criss Freitas